Uns minutos com Belvedere

Tenho sido feliz procurando crescer dentro do que me propus.

Textos

Sobre indecisões e partidas
Sobre indecisões e partidas

Belvedere Bruno

Decisão solitária.  Partiu, sem sequer atender meu  último pedido - um vinho tinto no  recém-inaugurado  bistrô de nosso amigo Pierre. Tudo fiz para dissuadi-la da ideia de viver longe da civilização, sozinha, aos 80 anos. E cá estou, entregue às minhas divagações. Para onde escoarão meus sentimentos?

Como apagar essa história? Fazer de conta  que nunca existiu? Que  foi um sonho, delírio, roteiro de novela? Em cada canto da casa há fragmentos de teu eu. Por que tantos rastros se querias fugir de tudo?  Que fosses inteira então.

Desfiz a sala de música.  Os discos de vinil descansam nostálgicos em um canto do quarto de TV. Retirei teus livros da estante e os coloquei naquela mala que nos acompanhou em tantas viagens. Os de Hemingway permanecem no mesmo lugar.

Talvez o cheiro do mato, o canto dos pássaros te tragam algum alento. Estou sozinha. A vida segue, mas falar para quem? o quê? Meu Deus, que desviver.

Iludo-me ao pensar que  logo a saudade aperta e pegas o trem de volta? No porta-retrato, fito teus olhos azuis que  parecem dizer:  me espere.  Confesso que  sempre observei um traço irônico, indecifrável , nesse sorriso tão incensado em nosso meio .
Contudo,  te esperarei,sim, e deixarei de lado essa ansiedade, essa sofrência, que me isola cada vez mais  das minhas afinidades.  Afinal de contas, não se vive 85 anos impunemente. Como bem dizias, é preciso “atitude”.
É primavera e o canteiro começa a florescer. Sabes que  nunca tive jeito para lidar com flores. Elas sempre foram tuas. Então, assim como eu, elas também te esperam.
Capturo um pouco dessas cores, mesclando tons,  tentando  uma coleção de aquarelas .  Quem sabe enfeitarão um novo ambiente para festejar o teu retorno?
Pintando,  busco trazer cores a esses esses dias cinzentos. Impossível não indagar se eles  terão fim.

belvedere
Enviado por belvedere em 22/05/2015
Alterado em 30/10/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Texto de Belvedere Bruno). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras